Some Reasons to Read Middlemarch

Muitíssimo interessante!

The Erstwhile Philistine

As I prepare to enter a PhD program in the fall, at which point presumably I won’t have much leisure time for reading what I want when I want it, I’ve decided to dedicate my summer to checking off some boxes on my pleasure reading bucket list. One huge entry on that list was George Eliot’s 800 page behemoth Middlemarch, often hailed as one of the great novels written in English. It’s been in my sights for awhile – it even had a whole Twitter campaign devoted to it –  but I’ve put it off because of its length and intimidation factor. I’m very glad I finally got around to it, and I certainly think it lives up to its lofty reputation. Instead of a traditional review, I thought I’d offer up a few things I really appreciated about the book, in an effort to convince the uninitiated that…

Ver o post original 1.061 mais palavras

Anúncios

TEMPO…TEMPO…TEMPO.

BOM DIA

No conto que ora des -conto

fui intrépido bandido.

Bobo herói destemido.

Um mero espectador.

Passado o tempo que foi tempo,

chorou a chuva;

uivou o vento.

E do amor que era bem amor,

e nesse canto lhes conto,

sobrou pouco,

pensamento,

que se perde à passagem do vento.

 

Rborboleta

 

 

 

 

 

 

COTIDIANO….

nene-laura

“… Tranquilizantes não resolvem o problema; o que resolve são atitudes corretas…”

 O link abaixo é do Programa A Grande Família – Rede Globo – exibido dia 01/05/14. Resolvi postar porque acredito que de uma forma ou outra, alguens sentir-se-ão tocados com a conversa que Nenê, personagem de Marieta Severo, teve com a psicóloga( Eva Wilma).

http://glo.bo/1n8VnP7

ASSIM…

café da manhã

“No cofre das minhas lembranças existe um apito de bicicleta que toca o hino do flamengo;

Existe um grito que ecoa do portão:

– Cadê o povo dessa casa? Aqui não se toma café?

Existe tanta coisa

de presente lembrança;

de ausência saudade.

Mas, por agora… chega.”

borboleta

 

 

 

 

 

 

PRECISO DE VOCÊ

ESTRELA

  • Teu sonho não acabou

Taiguara

Hoje a minha pele já não tem cor
Vivo a minha vida seja onde for
Hoje entrei na dança e não vou sair
Vem que eu sou criança não sei fingir

Eu preciso, eu preciso de você
Ah! Eu preciso, eu preciso, eu preciso muito de você

Lá onde eu estive o sonho acabou
Cá onde eu te reencontro só começou
Lá colhi uma estrela pra te trazer
Bebe o brilho dela até entender

Que eu preciso…

Só feche o seu livro quem já aprendeu
Só peça outro amor quem já deu o seu
Quem não soube a sombra, não sabe a luz
Vem não perde o amor de quem te conduz

Eu preciso…

Nós precisamos, precisamos sim
Você de mim, eu de você.

http://letras.mus.br/taiguara/80322/