GABRIEL GARCÍA MÁRQUEZ

  • prost“Descobri que minha obsessão por cada coisa em seu lugar, cada assunto em seu tempo, cada palavra em seu estilo, não era o prêmio merecido de uma mente em ordem, mas, pelo contrário, todo um sistema de simulação inventado por mim para ocultar a desordem de minha natureza. Descobri que não sou disciplinado por virtude, e sim como reação contra a minha negligência; que pareço generoso para encobrir minha mesquinhez, que me faço passar por prudente quando na verdade sou desconfiado e sempre penso o pior, que sou conciliador para não sucumbir às minhas cóleras reprimidas, que só sou pontual para que ninguém saiba como pouco me importa o tempo alheio. Descobri, enfim, que o amor não é um estado da alma e sim um signo do Zodíaco.”

(Memórias de Minhas Putas Tristes – Pg. 74)

Gabriel García Márquez

Certos silêncios

CEM palavras…

Portal

silencioDiscursos são exuberantes. Eles e suas metáforas, lições, fábulas, escalas, estrofes e citações. Explicam, ponderam, transmitem, transformam. Há pra todo tipo de ambiente, circunstância ou gente. Mas alto lá, há muito dizquedizque, muito tititizmos, achistas de plantão, uma multidão teclando, blablazando, desconectados em rede. Quem ainda não reparou esse flerte entre o discurso e o falsete? Há uma intensa troca de olhares, mudanças de senhas, sinais codificados, claquetes profissionais, um acordo do clube dos perfeitos. Discursos e discursantes mantém verdades a uma boa distância porque isso mantém um mundo onde a harmonia se baseia na dissonância. Disfarçadas de eloquências, exiladas no país dos desmentidos, letras mortas, esquecidas em conversas sem tradução. Desmentidas, as palavras nos tornaram distantes, almas malditas e esquecidas do bendito que é o entendimento que proporcionam. E foi então que cada letra silenciada tornou-se um hino, um som, um sentimento, o descobrimento que viver são pontos de…

Ver o post original 40 mais palavras

As bruxinhas de Páscoa na Suécia

As bruxinhas de Páscoa na Suécia

Doces bruxinhos!

Diário de uma Teimosa

Pelo menos nos países protestantes, o dia antes da Páscoa se tornou exatamente o oposto da Sexta-feira Santa. Sabadão é o dia em que a maioria das famílias enche o pandulho de ovos. Sim, muitos ovos. E isso acontece independente da ajuda do coelhinho fofinho da Páscoa. Tá certo que o povo por aqui deveria aguardar até o domingo para se fartar de comer, mas pra que esperar se isso pode ser feito antes, né?

Deixando os ovos de lado, há também uma antiga celebração por essas bandas, que é pura diversão da garotada na Quinta-feira Santa.

E que tipo de entretenimento é esse? As meninas usam lenços na cabeça, vestem saias longas ou vestidos, pintam a bochecha de vermelho com pintinhas pretas e, às vezes, até ostentam um avental bem a moda antiga, sabe. Enquanto, que os meninos usam roupas contemporâneas, chapéu e bigode. Algumas crianças gostam de explorar…

Ver o post original 840 mais palavras

Cântico VI – Cecília Meireles

CECÍLIA…

Poesias Preferidas

Poème-de-l'âme_Sur-la-Montagne_Louis-Janmot (pintura de Louis Janmot)

Tu tens um medo:
Acabar.
Não vês que acabas todo o dia.
Que morres no amor.
Na tristeza.
Na dúvida.
No desejo.
Que te renovas todo o dia.
No amor.
Na tristeza.
Na dúvida.
No desejo.
Que és sempre outro.
Que és sempre o mesmo.
Que morrerás por idades imensas.
Até não teres medo de morrer.

E então serás eterno.

Cecília Meireles

Ver o post original

Vou-me embora pra Pasárgada – Manuel Bandeira

BANDEIRA…

Poesias Preferidas

keep-calm-and-go-to-pasargada (Fonte: Keep Calm-o-Matic website)

Vou-me embora pra Pasárgada
Lá sou amigo do rei
Lá tenho a mulher que eu quero
Na cama que escolherei
Vou-me embora pra Pasárgada

Vou-me embora pra Pasárgada
Aqui eu não sou feliz
Lá a existência é uma aventura
De tal modo inconseqüente
Que Joana a Louca de Espanha
Rainha e falsa demente
Vem a ser contraparente
Da nora que nunca tive

E como farei ginástica
Andarei de bicicleta
Montarei em burro brabo
Subirei no pau-de-sebo
Tomarei banhos de mar!
E quando estiver cansado
Deito na beira do rio
Mando chamar a mãe-d’água
Pra me contar as histórias
Que no tempo de eu menino
Rosa vinha me contar
Vou-me embora pra Pasárgada

Em Pasárgada tem tudo
É outra civilização
Tem um processo seguro
De impedir a concepção
Tem telefone automático
Tem alcalóide à vontade
Tem prostitutas bonitas
Para a gente namorar

E quando eu estiver mais…

Ver o post original 284 mais palavras

Poema da Quaresma – Frei Betto

SANTO JEJUM

Poesias Preferidas

Jesus the light of the world by simon dewey pintura de Simon Dewey

Entro nessa Quaresma sem fantasia, disposto às abstinências que resgatam, no mais íntimo de mim mesmo, a minha verdadeira identidade.

Calarei a língua ferina e não macularei a fama alheia exposta em público no varal de minhas cordas vocais. Não darei ouvidos a inconfidências, nem ao ruído ensurdecedor das palavras vãs de quem só escuta a própria voz. Fecharei o olhos para ver melhor e abrirei as janelas à revoada dos anjos. Contemplarei as montanhas ocas de minha terra e derramarei uma lágrima por seus úteros arrancados e sonegados ao meu povo.

Nesta Quaresma, riscarei de meu dicionário o vocábulo competitividade e com aquarelas de utopias gravarei no coração solidariedade. Irei ao encontro de quem ainda luta por direitos animais: comer, beber, educar a cria e abrigar-se das intempéries. Só assim costurarei minha humanidade esgarçada.

Jejuarei da ânsia consumista e ofertarei meu supérfluo tão necessário ao próximo. Abrirei a janela do…

Ver o post original 188 mais palavras

Sozinha e feliz

ASAS QUE VOAM….

BLOG DO RONALDO

sozinha_feliz

Embora o mundo esteja mudando, ainda existe certa pressão para que as pessoas tenham um relacionamento. Quem mais sofre a pressão social são as mulheres. Principalmente depois de uma determinada idade. Não raras vezes, são vistas como solteironas. E, com o aumento dos divórcios, também cresceu o número de pessoas “livres”.

Estar sozinho parece ser indicação de fracasso no amor. É como se a pessoa fosse incapaz de manter um romance. E quando a pressão não é externa, muitas vezes a própria pessoa se cobra por estar sozinha.

Talvez a grande questão seja justamente a maneira como a pessoa se vê quando não tem um romance. Afinal, o olhar do outro só nos afeta quando não estamos de bem com a vida, quando não estamos totalmente seguros.

Sabe, cada pessoa tem suas razões para estar solteira. E uma vida sem um relacionamento não deve ser considerada menos válida, ainda…

Ver o post original 240 mais palavras