Marina Colasanti vence o Jabuti na categoria infantil

DISPENSA COMENTÁRIOS!

Mar de Histórias

ColasantiBreve história de um pequeno amor, de Marina Colasanti, é a vencedor do Prêmio Jabuti na categoria infantil. O anúncio foi feito na quinta, 16, pela Câmara Brasileira do Livro (CBL), responsável pela organização do concurso. O livro foi publicado pela FTD em 2013 e este é o segundo ano consecutivo que uma obra da editora é premiada na categoria Infantil. No ano passado, a FTD ficou em terceiro com o livro A Ilha do Crocodilo – contos e lendas do Timor Leste, de Geraldo Costa.

Marina Colasanti também venceu o Prêmio FNLIJ 2014, com Breve história de um pequeno amor.  A autora já recebeu o Jabuti, em 2010. A escritora tem mais de trinta livros publicados entre contos, crônicas, poesias, ensaios e livros infantis. Reúne em sua bibliografia sucessos como: Eu sozinha, Nada na manga, A morada do ser e Contos de amor…

Ver o post original 29 mais palavras

Anúncios

Da Rosa Fixa, de Maria Velho da Costa

VALE CONFERIR!

Da-rosa-fixa

Publicado pela primeira vez em 1978, Da Rosa Fixa, de Maria Velho da Costa, ganha uma nova edição, que agora se apresenta profundamente revista e com um prefácio de Jorge Fernandes da Silveira. Este livro chega às livrarias no dia 17 de outubro, com a chancela Assírio & Alvim.
«Os livros de amor são escritos com uma exterioridade absoluta. Partilham a surpreendente resposta do vegetal à respiração que aflore, ao acto do derrame de águas, indirecto. População de agrários hortícolas e floreiros, há que aguardar aqui com a gentileza tersa do felino que caça levitando sobre folhas, a ameaça tão leve.»
Algumas páginas deste livro estão disponíveis aqui.

Ver o post original 76 mais palavras

Novas edições de Eugénio de Andrade

NOVIDADE!

Eugenio

Limiar dos Pássaros e Memória Doutro Rio são as duas novidades da Assírio & Alvim Dois livros de Eugénio de Andrade regressam às livrarias, no dia 17 de outubro: Limiar dos Pássaros e Memória Doutro Rio, com prefácios de Pedro Eiras e Fernando Guimarães, respetivamente.

Limiar dos Pássaros foi publicado, pela primeira vez, em 1976, e divide-se em três partes: «Limiar dos Pássaros», «Verão sobre o Corpo» — um conjunto de textos em prosa — e «Rente à Fala». Estas partes estruturam o livro e estabelecem entre si uma continuidade que permite associálas musicalmente a três andamentos de uma mesma obra.

Ver o post original 210 mais palavras

Obra do brasileiro Rafael Murió no Carrousel du Louvre

COISA NOSSA!

MONDO MODA

Rafael Murió - Tela Le Coq Vigilant-My Cock in Paris @ Divulgação Rafael Murió – Tela Le Coq Vigilant-My Cock in Paris @ Divulgação

O artista plástica paulista Rafael Murió irá expor a tela ‘Le Coq Vigilant’, na 13ª Edição da “Feira Internacional de Arte Contemporânea”, no Carrousel du Louvre, em Paris.

Um dos mais importantes eventos da Europa, ele recebe milhares de visitantes internacionais famintos para conhecer o subsolo do Museu do Louvre, um espaço de 7.100 m² no Palácio.
A tela “Le Coq Vigilant” foi produzida em giclée (gravura digital impressa sobre tela), de 1m x 1m, técnica mista.
Sobre o artista
Rafael Murió, pseudônimo artístico de Nelson Rafael Muro, nasceu em 1954, em São Caetano do Sul, SP, de descendência italiana. Iniciou seus estudos aos 9 anos de idade, tendo como um dos seus grandes mestres no Brasil Enrico Bastiglia, tradicional pintor de afrescos de igrejas no interior do Estado de São Paulo.
Através de viagens e estudos feitos…

Ver o post original 180 mais palavras

Afonso Reis Cabral – Prémio LeYa 2014

Tema muito interessante!

afonsoreiscabralpremioleya_1413546861

O júri do Prémio LeYa, reunido ontem e hoje em Alfragide, deliberou por unanimidade distinguir a obraO Meu Irmão, de Afonso Reis Cabral.

 O livro premiado trata de um tema delicado, que poderia suscitar uma visão sentimental e vulgar: a relação entre dois irmãos, um deles com síndrome de Down. A realidade é trabalhada de uma forma objectiva e com a violência que estas situações humanas, podem desenvolver, dando também um retrato social que evita tomadas de decisão fáceis, obrigando a um investimento numa leitura que nos confronta com a dificuldade de um mundo impiedoso. Há no entanto uma tonalidade lírica na relação que se estabelece entre dois deficientes e que salva, através de apontamentos de poesia e de humor, o desconforto de quem vive este problema.

Ver o post original 138 mais palavras