DANÇARINA

DANÇARINA

Ela É Dançarina

Chico Buarque

O nosso amor é tão bom
O horário é que nunca combina
Eu sou funcionário
Ela é dançarina
Quando pego o ponto
Ela termina

Ou: quando abro o guichê
É quando ela abaixa a cortina
Eu sou funcionário
Ela é dançarina
Abro o meu armário
Salta serpentina

Nas questões de casal
Não se fala mal da rotina
Eu sou funcionário
Ela é dançarina
Quando caio morto
Ela empina
Ou quando eu tchum no colchão
É quando ela tchan no cenário
Ela é dançarina
Eu sou funcionário
O seu planetário
Minha lamparina

No ano dois mil e um
Se juntar algum
Eu peço licença
E a dançarina, enfim
Já me jurou
Que faz o show
Pra mim

Ela é dançarina
Eu sou funcionário
Quando eu não salário
Ela, sim, propina

No ano dois mil e um
Se juntar algum
Eu peço a Deus do céu uma licença
E a dançarina, enfim
Já me jurou
Que faz o show
Pra mim

Eu sou funcionário
Ela é dançarina
Quando esquento a sopa
Ela cantina
Ou quando eu Lexotan
É quando ela Reativina
Eu sou funcionário
Ela é dançarina
Viro o calendário
Voa purpurina

No ano dois mil e um
Se juntar algum
Eu peço uma licença
E a dançarina, enfim
Já me jurou
Que faz o show
Pra mim

Ela é dançarina
Eu sou funcionário
Quando eu não salário
Ela, sim, propina

No ano dois mil e um
Se juntar algum
Eu peço uma licença
E a dançarina, enfim
Já me jurou
Que faz o show
Pra mim

Anúncios

DEZEMBROS

TREM
Dezembros 
Fagner E Zeca Baleiro
 Nunca mais a natureza da manhã 
E a beleza no artifício da cidade 
Num edifício sem janela 
Desenhei os olhos dela 
Entre vestígios de bala 
E a luz da televisãoOs meus olhos têm a fome 
Do horizonte 
Sua face é um espelho 
Sem promessa 
Por dezembros atravesso 
Oceanos e desertos 
Vendo a morte assim tão perto 
Minha vida em suas mãosO trem se vai 
Na noite sem estrelas 
E o dia vem 
Nem eu nem trem nem ela