Da cor da pele aos dreads, Tinga luta contra o preconceito e pede politização no futebol

LINDA NEGRITUDE!

Revista Vaidapé

Por Pedro Rodrigues e Paulo Motoryn

Imagens e edição por Felipe Kfouri

Paulo César Tinga foi alvo de insultos racistas diversas vezes em sua carreira. No entanto, em fevereiro deste ano, as imitações de macaco por parte da torcida do Real Garcilaso, do Peru, sempre que Tinga tocava na bola, em partida em que ele defendia o Cruzeiro na Copa Libertadores, ganharam repercussão mundial. Da presidenta Dilma Rousseff ao ministro Joaquim Barbosa, das redes sociais às mesas de boteco, muitos saíram em defesa do jogador – que também reagiu.

Logo após o episódio, ainda na saída do gramado de um estádio que só lhe oferecera cenas tristes, Tinga teve o sangue frio de brindar os repórteres esbaforidos com uma resposta que poderia soar como clichê, mas é coisa rara no universo futebolístico: “Eu queria não ganhar todos os títulos da minha carreira e ganhar o título contra o preconceito, contra…

Ver o post original 170 mais palavras

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s