O URUBU E A VITÓRIA RÉGIA

Diálogo torpe entre um urubu e uma vitória régia. Desprezado o preconceito embutido no diálogo, digo, como disse Fernando Pessoa: que primor!

Image
O Urubu e a Vitória Régia

Pobre urubu certo dia
foi justamente pousar
sobre uma relva, onde havia
reinando, com todo o esplendor,
a linda vitória-régia
vestida de nívea cor

Bendita sejas, vitória,
rainha de graças mil
eu te aclamo for das flores do Brasil.

Ia ficar sem resposta a saudação
mas ao fim a vitória-régia
voltou-se e falou assim:

Olha lá como me falas,
oh atrevido Urubu,
ante a minha majestade
oh, infeliz, quem és tu?

Quem és tu que não te curvas
negro da cor de retrós,
pesa melhor a distância
imensa que há entre nós

O urubu caiu das nuvens
tão espantado ficou
só depois de haver passado
longo tempo assim falou:

Que nasceste cor da neve,
que és rainha sei bem
mas não te esqueças, vaidosa
que eu nasci branco também

Não te esqueças que embora
eu viva de léu em léu
Tu vives presa no lodo
E eu vivo livre no céu’.

Anúncios

13 pensamentos sobre “O URUBU E A VITÓRIA RÉGIA

  1. Falta uma parte: E ainda não te esqueças; da cor da neve nasci. Filha do Rei Amazonas, sou eu quem domino aqui. Quando o sol me atinge a face como o mais custoso carmim. Qual a rainha da terra que tem uma face assim? …. Antes do urubu cair das nuvens

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s