BEM LEMBRADO, FERNANDA…

Vladimir Nabokov

Vladimir Nabokov

Russia

1899 // 1977
Escritor

FRAGMENTOS DE VLADIMIR NABOKOV

“Parece-me que na escala das medidas universais há um ponto em que a imaginação e o conhecimento se cruzam, um ponto em que se atinge a diminuição das coisas grandes e o aumento das coisas pequenas: é o ponto da arte.”
“Um pensamento, quando é escrito, é menos opressor, embora às vezes se comporte como um tumor maligno: mesmo se extirpado ou arrancado, volta a desenvolver-se, tornando-se pior do que antes.”
 

“Ao homem livre não faz falta um deus.”

“Penso como um génio, escrevo como um autor distinto e falo como uma criança.”
 

“Sei mais do que aquilo que posso exprimir em palavras, e o pouco que posso exprimir não o teria exprimido se tivesse sabido mais.”

“O que procuramos na literatura é um estremecimento na espinha dorsal.”

“Todas as famílias felizes são mais ou menos diferentes; todas as famílias desgraçadas são mais ou menos iguais.”
“Uma boa gargalhada é o melhor pesticida que existe.”

“A vida é uma grande surpresa. Não vejo por que razão a morte seria uma maior.”

CLARICE

A paixão segundo

“Fragmentos de “A PAIXÂO SEGUNDO G.H.”

de Clarice Lispector

“Terei que correr o sagrado risco do acaso. E substituirei o destino pela probabilidade”.

“Uma forma contorna o caos, uma forma dá construção à substância amorfa – a visão de uma carne infinita é a visão dos loucos, mas se eu cortar a carne em pedaços e distribuí-los pelos dias e pelas fomes – então ela não será mais a perdição e a loucura: será de novo a vida humanizada.”

Antes, sempre que eu havia tentado, meus limites me davam uma sensação física de incômodo, em mim qualquer começo de pensamento esbarra logo com a testa.”

FLAGRANTES

MADRESSILVASFlagrantes

Olho as fotos à minha frente

e  cada momento vivido,

REVIVO!

Papai sentado à porta de casa,

observando meu bebê que, no carrinho,

lhe oferecia os braços, sorrindo.

O sorriso mais lindo!

Sobre a cama o chapeuzinho do meu pequeno.

Tão pequenino!

Na casa de minha avó

o cheiro de Mariazinha.

Tão nossa!

Tão minha!

A velha madressilva recostada ao muro,

exala o seu aroma mais puro.

Mergulho!

Então, o primeiro aninho do nosso menino.

O coelhinho  tem o nariz bem vermelhinho!

Insegura,

seguro a barriga que ansiava o oitavo mês.

Era o da vez!

Minha menina segura, sem jeito,

nos braços, o irmãozinho.

Que lindo!

As lágrimas se misturam a meus olhos que choram.

Memórias!

Por Rosânia Bastos